quarta-feira, 27 de abril de 2011

Princípio, meio e fim








Fujo. Escondo-me. Não tenho outra opção. Sei que se te enfrentar, se te voltar a olhar nos olhos vou-me deixar levar e será difícil voltar sem um sentimento de mágoa, sem sentir um vazio em mim. Dizem que tudo tem princípio, meio e fim, eu não sei onde é que a nossa história ficou nessas três fases. Se algum dia duvidei do que sentia por ti, hoje sei que tão cedo não vou voltar a sentir o mesmo por outra pessoa. Um dia vou ter coragem para te encarar nos olhos mas agora não o consigo fazer, ainda não sou suficientemente forte e o que ainda sinto não me permite te mostrar que me és indiferente. Nunca imaginei que ia estar tanto tempo acorrentado a alguém. Há quem diga que a distância traz o esquecimento, eu fiquei tanto tempo sem te ver e hoje quando te vi, fizeste-me perceber que tenho algo aqui dentro que ainda se inquieta quando estás por perto. Questiono-me se vale a pena estar longe de ti, se vai haver um tempo suficiente sem te ver para te conseguir esquecer. Se pudesse inventava uma borracha, apagava todas as linhas escritas, todas as imagens desenhadas na minha mente mas não é possível. Não é assim tão fácil, não posso expulsar o que sinto cá dentro com um mero sopro. É tudo tão inesperado e tão fugaz ao mesmo tempo.

P.S: Preciso de dizer que foste o café da minha manhã?

1 comentário: