segunda-feira, 21 de março de 2011

Contrariedades




Tanto te quero por perto, como já não consigo respirar o mesmo ar que tu respiras. Percorre em mim um turbilhão de sentimentos com a tua presença que me deixam confuso, sem saber quais são os que nutro por ti. Já não sei o que o teu olhar desperta em mim. Já não sei a que sabe o teu sorriso. Já não sinto o teu cheiro no meu corpo. Mas não te perdi porque na verdade, nunca te tive.

Sorrimos mas não alcançámos a verdadeira felicidade,
Sonhámos mas não chegámos a tirar os pés do chão.

Jogámos mas não juntámos as peças essenciais,
Perdemos tempo a desenhar imagens irreais.

Sem comentários:

Enviar um comentário