quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Desejo




Não foram dias, nem foram apenas meses. Foram anos perdidos acorrentado ao desejo de te ter e de nada valeu a pena. Despertaste em mim aquilo que não quiseste cuidar, fizeste-o para te sentires amada e não amaste. Não retribuíste o mesmo desejo porque não querias sentir o que eu agora sinto. Fui eu que passei noites sem conseguir dormir, fui eu que passei manhãs sem saber sorrir. Porque eu ainda volto a trás, enquanto tu provavelmente já seguiste em frente. Porque enquanto eu continuo constantemente a enfrentar obstáculos, tu nunca os tiveste.

Decorei a tua maneira de andar,
o teu jeito de olhar,
Agora, tento descobrir
a melhor forma de te apagar.

Não consigo viver da incerteza e a minha felicidade não depende apenas das memórias. Não posso continuar à espera que abras a boca e digas o que eu quero ouvir. O que eu apenas quero ouvir é a verdade, só a verdade. Estou a pedir muito?

2 comentários: