sábado, 2 de outubro de 2010

Ausente



Com o mundo ao avesso,
questionei-me onde pertencia,
perdido no meio da multidão,
não tinha noção do que acontecia.

As vozes que me rodeavam,
traziam conversas banais,
de pouca ou nenhuma importância,
para mim não eram essenciais.

Ausentei-me da realidade,
não conseguia distinguir o certo do errado,
precisava de me refugiar,
o meu corpo estava cansado.