terça-feira, 30 de março de 2010

Inesperadamente


... E inesperadamente magoam-nos. Fazem-nos sentir pequenos e tentam destruir tudo o que construimos. Ficamos perdidos sem saber o porquê, perdemos a vontade de nos expressar e de reagir. Questionamo-nos se errámos. Tudo se torna confuso e deixa de fazer sentido mas acabamos por nos conseguir erguer e virar a página. "Por vezes não conseguimos virar a página, temos mesmo que rasgá-la e voltar a escrever."

segunda-feira, 29 de março de 2010

Distância



Apesar da distância, continuo a construir este sentimento. Reflicto sobre o que sinto com necessidade de te lembrar.

domingo, 28 de março de 2010

Caminhada




Sozinho caminho pela cidade. Entre o barulho e a agitação, eu afasto-me da realidade e acabo por entrar no meu próprio mundo, onde o silêncio atinge-me e tranquiliza-me.
Questiono-me se vale a pena a minha caminhada. Recordo-me de todo o caminho percorrido até aqui e sem hesitar continuo em frente sem olhar para trás.

Silêncio















Há sempre algo que fica por dizer. Uma parte de mim tem vontade de se revelar, de gritar e soltar palavras nunca antes ditas mas o silêncio toma-me e acabo por me abrandar. Não quebro o silêncio e recolho-me.